Venha! Venha ver A Lenda

De Enigma
Ir para: navegação, pesquisa

Mahou no Kami -- Capítulo Um -- Sol Cajueiro

Um livro de Future Pop Adventure -- Estágio -- O Enigma das Origa

Nota: Todos os Direitos reservados (Sol Cajueiro).

Este texto foi publicado em 23 de Novembro de 2020.

Dedicatória

À minha filha, minha motivação; aos meus pais, irmãos, de sangue e de caminho; aos amigos, de coração, a quem sempre deu apoio, em corpo, mente e espírito, e está agora digno de minha eterna gratidão.

Feliz aniversário! Tudo de bom.

Obrigado.

Cap 2 – Venha! Venha ver A Lenda

Você deve ter percebido que dois anos se passaram.

Agora, vamos fazer um resumo do que aconteceu durante esse tempo, para que você não se perca na narrativa.

Tarja passou dois anos tentando fundar uma Escola, e estava conseguindo, a dizer da verdade; mas o mundo não é dos bruxos.

O Universo passou por uma transformação enorme, durante esses dois anos que formaram um mundo melhor, para todos.

Assim que os magos descobriram que Tarja estava criando uma Escola, eles a sequestraram, para deixar ela para morrer, na diratura dimensional, criada por um bruxo na tentativa de lutar contra os magos. Este bruxo, Zór, ele era na verdade um gênio da magia: ele inventou mais de setecentas magias. Tarja foi deixada ali, neste ambiente hostil, e pior que isso, grávida.

Acontece que Arda, nossa Terra, recebeu a visita de Rayki, um investigador da Academia de Akkoya; ele se viu em Arda, sem volta.

Depois de andar pela região, seu computador, um peka muito evoluído, do mundo capital ediche de Akkoya, sabia português e o guiou; mas foi a Deusa Gato que ensinou a ele a língua local. Ele é um Jogador, com todo o treinamento que a Academia da Magia, da Política e do Poder pode oferecer, e rapidamente descobriu que Tarja era uma Jogadora, vindo a ajudar no início da criação da Escola.

Akkoya conseguiu transformar sua casa em passagem, e ele pode voltar ao seu mundo, e a Arda, quando quisesse.

O mundo se enxeu de demônios, e de demonistas, que começaram a usar de viagem no tempo para se estabelecer no poder.

Rayki e Tarja foram procurados por um Jogador que veio do futuro, Kevid era um psiónico, que fez exército aqui, e tinha a ajuda de um herói chamado Fater, e de uma psiónica de elektra chamada Fables. Ele queria resolver o problema.

Tinha uma quantidade extrema de tecnologia, a disposição, e seus soldados foram treinados em uma Base com todos esses aparatos do século vinte e seis, e ele teve a primeira de suas missões cumprida: identificou um mago que iria fundar a Escola de São Paulo, a escola dos demonistas do futuro, e mandou Fater matar ele; mas Fater ficou com um peso na consciência, e não queria mais matar.

Kevid explicou que aquela pessoa que ele eliminou era o responsável por mais do que um assassinato, ele era um assassino no futuro.

Enfim, Rayki cumprimentou Kevid por ter feito isso, e eles fizeram amizade, o que facilitou as coisas.

Rayki descobriu que Iel, o mesmo do cinema, era um Quasedeus, e que ele dominava os Estados Unidos; o quasedeus tinha até uma editora, que publicava as suas histórias como o guardião da democracia.

Mas bem, na verdade, ele era louco.

O que Rayki descobriu era que Iel na verdade tinha setenta de Sanidade, cujos níveis normais vão de menos cinco a mais quinze.

Um dia, andando pela região, Rayki descobre Toth, o deus egípcio, andando e bebendo cerveja, e chama ele para tomar um café com ele e Kevid; o deus aceita, mas Kevid descobre a quantidade de informações que ele lida o tempo todo; para deixar isso claro: duzentos mil pensamentos por momento, e resolve que ele deve mesmo ser um deus, porque nenhum psiónico conseguiria isso.

Toth é apresentado a Tarja, e ele percebe que ela será a Deusa da Magia, por ela se apaixona, e investe nela: ninguém sabe porquê Toth está neste mundo, e ele não conta a nenhuma pessoa o seu motivo.

Tarja foi sequestrada, e teve uma filha, Ifar é filha de Toth, e rapidamente Tarja descobre que ela tem forma élfica, vivendo afastada de tudo.

Não se sabe ao certo, mas parece que Iel a sequestrou para deixar ela para morrer na ditadura dimensional, só que Rha a protegeu.

Bom, como assim? Rha não interfere em qualquer história, isso é o que se sabe sobre ele.

Enquanto isso, Athýmas tentava aprender.

Sem sucesso, porque os métodos de Karl Bitter eram de mago, nada do que um bruxo precisa para fazer magia, não era intuitivo.

Nos últimos anos, houveram inúmeros assassinatos, não de bruxos, mas de magos que queriam tomar o lado dos bruxos.

Rayki tomou, como era investigador, a missão para si.

Assim que descobriu que Tarja havia sido sequestrada, ele entra em sintonia e olha quem está em órbita, e aparece uma nave imperial cinza.

Houve um momento, até tudo ser explicado.

O Imperador mandou dizer onde Tarja estava.

Rayki montou uma operação de resgate, o objetivo era só encontrar e voltar com a Diretora da nascente Escola do Grande Jogo, que ela havia fundado, com a ajuda do investigador e do viajante do futuro. Eles lá foram. Encontraram Tarja e sua filha, Ifar, e como foi usada viagem no tempo, ela já tinha nove anos.

De volta, Rayki descobre que foi Iel quem fez isso.

Ele descobre o lugar onde Iel construiu a sua fortaleza, para guardar não se sabe o quê dentro dela, na décima terceira dimensão.

Essa dimensão era completamente destruída, e ele organiza uma ida a esse lugar, com Tarja como voluntária, e mais Tytus, um guerreiro de Akkoya, que para se dizer a verdade, é uma estrela; ele era uma estrela, mas um dia descobriu ou tomou consciência de que iria morrer, ficou com medo, e fugiu – aquele sistema solar, de repente, morreu – mas eles não conseguiram destruir a fortaleza.

Rayki entrou em contato com o Tutyr, o líder da Academia de Akkoya, que se prontificou a resolver o problema, e a fortaleza foi destruída.

Resultado, a décima terceira dimensão nunca teve problemas, nem as pessoas que lá moravam sabiam de nada sobre isso.

Havia agora uma filha, de Tarja com Toth, Ifar.

Dois anos haviam se passado, e Tarja – por Rayki – havia entrado em contato com Tutyr, e ele se ofereceu para fazer um implante de castelo.

O especialista em castelos, Twistan Hyddek, fez a transposição de um castelo de Akkoya para Arda, mas surgiu um problema.

Seria um castelo vazio, se não houvessem pessoas para morar nele, e Tarja, junto de Athýmas, que a procurou para saber se podia estudar na Escola, criaram a idéia da Nação da Magia, uma nação de bruxos de nascença.

Tarja recebeu o contato de bruxos do futuro.

Asha el Sauza a observava, e disse que havia um grande número de bruxas presas em dimensões paralelas, por um labirinto demoníaco.

Estas bruxas seriam transformadas em prostitutas pelos demônios, foi isso que Asha e Tarja descobriram, e teriam fundado uma Escola; elas, então, iriam servir aos propósitos dos demônios para ampliar seu império, e que era possível que isso tudo estivesse sendo feito em outros mundos, também.

Foi feita uma Operação, com o Comandante Gusa na liderança, e todas estas bruxas foram libertadas; mas isso, em dois mil e quinze.

Isso era cinco anos antes do esperado.

As bruxas sabiam quem era Tarja, e observaram ela, descobrindo que no dia em que ela descobre que é bruxa, ela foi sequestrada.

Tempus entra em contato com Rayki, e Tarja, mas alguns alunos estavam ali presentes, também, incluindo Aranda, cujos pais haviam sido mortos por um mago que estava matando os magos que queriam se aliar aos bruxos, e todos de repente foram parar no passado; Rayki ficou com muita raiva de Tempus.

Eles foram atrás da pista, um andarilho.

O andarilho Ivo caminhava pela estrada, à noite, como fez por vinte e sete anos, ligando os bruxos das vilas dimensionais entre si.

Ao ver Tarja, ele parou, e ela também, a se olhar.

– Eu sou Tarja – disse ele.

– Eu sou Ivo – completou ela.

E então, ele se tornou ela, e desmaiou. Foi Rayki que trouxe Tarja de volta a si, depois de descobrir que aquele era ela.

Tempus orientou eles todos a como colocar Tarja no mesmo lugar de onde ela foi retirada, mas Rayki descobriu que Aranda havia enviado um espírito, ela não quis dizer para fazer o quê; voltando, ela chamou o Mensageiro, porque ela foi treinada como encantadora pelos pais, e confirmou que seus pais sobreviveram, mas estavam escondidos, porque se não o mago iria atrás deles.

Que mago era esse? Uder, era o nome do mago.

Rayki revelou a Kevid quem ele era.

Isso fez com que o viajante do futuro, que acaba de se tornar uma entidade, com o nome de Utopia, começasse a sua caçada.

Tarja foi salva, mais uma vez.

E então, o contato foi feito; Athýmas descobriu que era o ser mais velho do mundo, e contou isso a Tarja, mas pedindo sigilo sobre o assunto.

Athýmas foi aceito na Escola de Magia, mas ele era desastrado, e quase tocou fogo na escola, em mais de uma oportunidade.

As bruxas libertadas quiseram fazer parte da Nação da Magia, e revelaram o fato de saberem que a Nação seria criada.

E então, Kevid revela que o sequestro foi feito por Iel, o quasedeus, e que ele fez uma filha em Tarja, e Rayki diz que vai resolver.

Ele faz contato com os basylisques.

Rayki sabia que haveria um preço pelo que eles planejaram, e as serpentes das trevas exigiram que o grimório dos pais de Aranda fosse entregue a ela, assim que fosse recuperado; esse foi o item roubado dos pais dela.

Assim sendo, a filha de Tarja com Iel foi retirada dos Estados Unidos, e levada para o Reino Unido, onde foi educada como inglesa.

Ao entrar em sintonia, Rayki descobriu que a sede de comunicações usada por magos deste mundo era nesta cidade.

E ele, rapidamente, foi para a Escola.

Ao revelar isso, Toth chega.

Acontece que o deus estava acompanhado.

– Este é Rha – apresenta ele.

– Prazer – diz o deus, e todos se espantam com a presença do Deus mais importante do Egito; o que ele estava fazendo aqui?

Rha conversa apenas com Tarja e Toth.

– Este mundo foi eleito mundo alfa, pelo Imperador Cinza. Isso quer dizer que este mundo se tornou muito importante. Por causa disso, eu vim a este mundo, para investigar o porquê esse mundo é tão importante, e vou ter a ajuda de Tempus, o

vampiro viajante do tempo, para voltar ao passado.

– Isso não é perigoso? – questiona Tarja.

– Tudo é perigoso, Tarja – diz o deus – Toth se apaixonou por você, porque ele descobriu que você é a Deusa da Magia da raça elae.

Tarja não tinha palavras para se expressar.

Ela preferiu não dizer nada, sem acreditar em quem era.

Tudo indicava que havia um motivo para tudo isso.

Aquele parecia ser o motivo mais que óbvio.

Desta conversa, ela não disse nada a nenhuma pessoa, e pediu a Temonozor que ficasse de olho, porque não queria mais ser sequestrada.

O Senhor dos Infernos disse: – "Não se preocupe".

Tempus fez com que os bruxos soubessem da localização da base dos magos nesta cidade, há três anos, e a missão estava pronta.

Rayki disse que não iria participar, enfim, ele não era guerreiro, e preferia não agir diretamente; mas, em casa, ele percebeu que mudou.

Sua ação foi ir à Academia, para esclarecer.

Rayki foi recebido por Tutyr, mais as Deusas da Magia de Akkoya, e só Ambar não tem avatar.

Ambar explica a ele o que aconteceu.

– Você se tornou um Deus.

Essa foi uma conversa muito longa, e interrompida com frequência pelo líder da Academia, Tutyr queria que tudo ficasse bem explicado.

Acontece que Rayki é um Jogador.

Isso o define, mais do que ser um deus.

Rayki concorda, mas há um porém.

Ele diz que se ele se tornar o Deus da Magia de Arda, ele não deve mais ser um investigador de Akkoya; mas Arda tem Deusa da Magia.

O porém foi explicado por Ayasta.

– Você é um Jogador: O que você quer?

Isso ficou na mente de Rayki, desde esse momento, mas ele pediu um tempo para pensar, e voltou a Arda, pela Maria (nome da sua casa).

"Isso explica porque A Magia vem me visitar, tão frequentemente, e só ela deve saber disso desde muito tempo", pensa ele.

O ataque aconteceu, e o livro foi recuperado, mas Rayki diz a Tarja que este é o motivo dos magos terem eliminado os pais de Aranda que, da mesma forma que Teodoro, inicialmente transformado em garota, sofreram com a ação dos

magos, e então, como vai ser garantida a segurança dela?

E Tarja concorda que o tal mago deve ser caçado, e entra em contato com seu amigo Kevid, que imediatamente coloca todo o futuro na missão.

Depois de três dias, eles encontram Uder.

Ele estava na piscina de uma mansão, desfrutando de uma vida de rei, até que ele foi cercado por Kevid, que pediu a Tarja para fazer um ritual que pudesse dar a ele a chance de eliminar o mago assassino. Ele aportou suas facas. Sem o mago ter a chance de revidar, ele o eliminou, com dezenas de facadas.

Kevid recebeu do futuro uma informação.

Ele acabara de resolver noventa por cento dos problemas do futuro, porque Uder era o futuro fundador da Ordos religiosa inimiga.

Rayki toma sua decisão, e vai ficar em Arda.

Ele chama a todos os Jogadores que conhece neste mundo para avisar que ele agora é o Deus da Magia, mas é interrompido por Kevid.

Kevid, então, se despede deles.

Ele vai voltar para o futuro, e Fables, a psiónica que tem elektra, com ele para formar família; mas vai ficar de olho no passado.

Assim sendo, Rayki se torna deus.

Sua primeira ação, e que não pode ser negada por outros deuses, foi proibir a magia de viagem no tempo, e assim, foi.

Setenta milhões de viajantes do tempo foram enviados de volta para o futuro de onde vinham, revelando que A Mãe das Guerras havia acabado.

Isso criou uma complicação, não programada.

Acontece que Rha havia pedido a Tempus que o levasse para o passado, para três mil, setecentos e cinquenta anos no passado.

Tanto Rha, quanto Tempus, desaparecem.

Isso por si só não seria de se assombrar, porque agora Rayki havia proibido a viagem no tempo, mas então, acontece outro problema.

Ifar, filha de Tarja, é sequestrada.

Acontece em um acampamento da Escola, e seus colegas não tiveram muita chance contra magos demonistas, deixando eles revoltados.

Tarja procura Rayki, que descobrem o seguinte.

Quem estava fazendo viagem no tempo eram os Estados Unidos, mas não era com Magia, era uma tecnologia muito recente.

Eles decidem que Iel não pode mais existir; e vão atrás de Tutyr, mas ele para o tempo, porque se apaixona por Tarja.

Tarja e Tutyr tem uma filha, tida em viagem no tempo, porque Akkoya tem a tecnologia, agora que Arda desenvolveu. Eles criam ela até fazer quatro anos, então voltam o tempo, e a menina fica em Akkoya, sob a proteção dele; mas agora, o tão mal falado quasedeus tinha de ser eliminado de verdade.

Tutyr garante a Rayki que vai resolver, era só liberar a informação do porquê o quasedeus estava sendo procurado, que Mu iria interferir na história.

Então, foi isso que aconteceu, e Iel foi parar nos limiares de Tunna, um mundo desértico, onde os Deuses do Tempo vivem.

Os elementalistas de Mu encontraram sua alma.

Sem sua alma, ele voou para o Império dos Quasedeuses, onde parou diante de seu pai, Ampel, que demonstrou saber de tudo.

Então, o vilão foi encontrado, Ampel era ele.

Mas precisamos dizer que há muita história a se contar, e este resumo de dois anos não é o bastante para se entender tudo.

Voltamos a isso, e a outras histórias, quando pudermos.

Enquanto isso, vamos continuar a nossa história.

Athýmas desvenda o segredo, e se ilumina. Ainda assim, ele só tem quinze anos, e vai ter que provar quem ele realmente é.

E então, ele vai procurar Tarja para explicar a ela o que aconteceu, como foi que tudo isso levou a esta história tão forte.

– Eu sou – ele diz, e ela entende, ele é Rha, O Grande do Egito, e havia não só se perdido, como agora, se encontrado – E eu sou sua filha, Ifar – ele toma a forma dela, e Tarja chora – E eu sou Akkia, a princesa élfica do Egito – mostrando a Tarja a forma de elfa, elfae, pequena e muito séria – Akkia, a língua que você e Ifar criaram durante a educação dela para esconder o que falavam, na verdade é a primeira das elfas a ter forma física; e você é Ikkomi – ele aponta Tarja.

Tarja tinha este segredo, Ikkomi era seu nome de Jogador, mas era sempre no masculino, e ela realmente não sabia o porquê até este momento.

Assim sendo, Ikkomi era um elfo, fae, Rha ensinou ela a mudar de forma, e confirmou que ela tinha forma élfica, masculina, desta maneira.

Tarja se tornou a Deusa da Magia da raça ediche, nome que ela aprendeu em Akkoya, e que não conseguia mais deixar de usar.

(Fim do Cap 2)