Sabarba (Poesia)

De Enigma
Ir para: navegação, pesquisa

Poesia.

Aguarde a tradução para as Conlangs do projeto, ainda que demore.

Nota: Alguns direitos reservados (Sol Cajueiro).

Siga para Enigma:Aviso_geral para ver a licença.

Siga para Poesias (lista) para ver a lista com todas as poesias publicadas.

Esta poesia foi publicada no Mais Poesia de 16 de Abril.

Sabarba

–– 2014, Belo Horizonte

Era uma

vez alguém

Relíquia em

quarentena

Tal e qual,

mudo-me, antena

A boca aberta,

a observar

outra boca pra

alimentar