Pannat

De Enigma
Ir para: navegação, pesquisa

O Sacrifício das Virgens.

Este texto foi publicado em 12 de Agosto de 2020. Revisado em 13 de Novembro de 2020, e Feliz Sexta-feira 13 a todos! Venha ler, também.

Nota: Todos os direitos reservados (Sol Cajueiro).

Boa noite, ou bom dia. Eu sou Tempus, e sou imortal. Eu vou descrever a história de Pan tanto na ficção quanto na realidade. Eu sou amigo de Ikkomi, e fui convidado a escrever este mito.

Sol: Eu também me chamo Ikkomi. Você vai ver anotações assinadas como Ikkomi neste texto, e em outros. Sempre que puder, vou acrescentar noções importantes para o entendimento dos fatos e dos eventos descritos em Enigma usando esta assinatura.

Bom, eu sou Tempus, e sou o vampiro responsável por vampiros se esconderem. Isso foi uma idéia que eu tive há 15 milhões de anos. Tive a idéia, e então, convenci todos os vampiros a se esconderem.

Isso só foi incluído para que você saiba quem está falando.

Mas bem, vou escrever sobre Pan e o Pannat, mito e realidade.

Pan era um satirus, com corpo de pessoa e pernas e patas de bode, um povo muito inteligente, mas que tinha na luxúria seu pecado. Eles estavam em todo o Universo, e tinham no deus Pan seu senhor.

Isso aconteceu há seis mil anos, quando Pan se tornou um deus e teve sua primeira ação.

Definindo Primeira ação: é uma ação que não tem como outros deuses, entidades e avatares impedirem, mas que em geral causa uma Cadeia de ações feita por todos os deuses, entidades e avatares.

Muito inteligente, e carregado de luxúria, Pan determinou que "a primeira vez seja dos satirus".

E assim foi, durante seis mil anos; necessário explicar, porque a história mudou.

Isso quer dizer que o Pannat, o sacrifício de viegens para as florestas dos satirus, descrita em Toj, é verdadeira, mas ficcional. O que você quer dizer com isso, Tempus? Que os satirus tinham prioridade para a primeira vez, e isso era verdade.

Acontece que não era para as florestas; bom, em alguns mundos, era.

Ikkomi teve de criar um cenário para que A Queda de Pan acontecesse, e Toj, Kalaummuklutwa e a futura Akkoya são esse cenário. Isso foi feito para que Pan pudesse ser vencido.

Mil anos antes da Academia de Ryklant, um deus chamado Pan consegue realizar uma Magia universal, e faz com que a primeira vez seja um direito do seu povo, os satirus.

Os satirus são homens com pés de bode, e são muito inteligentes, sua língua é o grego, depois voltamos a isso.

Eles também são maliciosos e colocam maldade em tudo, sexualizando qualquer nome ou assunto.

Um fato curioso, é que Pan estava muito interessado nesta galáxia, a Galáxia 5b, e fundou um império interligado de dez mil mundos, tecnologia que se perdeu durante a guerra contra ele.

Os mundos não sabiam da existência dos outros mundos, por isso ele governava pela ignorância da população.

Mas bem, o que ele fazia? Ele ouvia as súplicas dos seus, os satirus, e mudava o passado para que a primeira vez tivesse sido de um satirus. Isso obrigava as mulheres a terem relações com este homem, que não queria nada com elas além de sexo -- Não iria se casar.

Isso motivou muitas sociedades a valorizarem a virgindade, culpando a mulher pelo pecado (o sexo), quando na verdade eram os satirus que faziam isso, e muitas vezes eles forçavam a relação.

Os satirus nascem de um estupro, então, e deixam a mulher a sofrer e cuidar do novo satirus sozinha.

Os satirus assim se infiltraram em todas as sociedades, por meio do estupro, o Pannat.

Mas como é que Pan conseguiu fazer isso? Ele, muito esperto, se infiltrava em quase todas as mitologias, e era sempre o filho do líder. Em Arda, a Terra, ele se infiltrou no Panteão grego, com seu nome próprio, Pan filho de Zeus, profetizado para ter o poder sobre tudo o que existia assim que Zeus deixasse de ser o líder dos deuses -- Ele mesmo deve ter feito a profecia.

A Guerra contra Pan começa quando Ambar, Deusa da Magia do mundo de Toj, descobre que ele tinha uma Arma Secreta, e planeja tomar dele essa Arma, para unificar a raça ediche, nome que ela e Tutyr, o líder da Academia de Ryklant, decidiram para a Superraça.

Ambar convence Efemmera, Deusa da Morte, a "marcar" Pan, tornando-o mortal, para que pudesse ser atacado. Isso acontece no ano 60 da Academia da Magia, da Política e do Poder, e o campo de batalha foi próximo a esta cidade.

Efemmera marca Pan, e um demônio qualquer, de nome Trisebus, fere ele mortalmente. Pan, então, mata a Efemmera do mundo de Toj, mas Ambar pega a sua Arma secreta, uma Pena ainda sangrando, e percebe que o que ela escrever, acontece. Assim, ela termina de eliminar Pan, e começa a reescrever a história dos dez mil mundos desta galáxia, que Pan havia planejado ser seu império, revertendo assim o controle que ele tinha e criando uma nova sociedade, a Sociedade ediche, cujo objetivo é a unificação da Superraça que recebe este nome.

Foi isso que Ikkomi previu, mas o objetivo era criar um cenário, Toj devia ser jogável.

Depois, isso fez sentido para a Mitologia atualizada, que estamos narrando neste texto.

A História da Pena e do Império Elementalista

Há um milhão de anos atrás, Deus enviou um anjo para eliminar um deus muito importante.

Eles travaram uma batalha que durou muito tempo, deixando um rastro por muitas galáxias, mas então, aconteceu uma coisa que revelou o plano maligno do Criador.

O deus acertou o anjo, uma mulher linda, e dela arrancou uma Pena.

No mesmo momento em que o deus viu o sangue dela, percebeu que ela era o seu Amor verdadeiro.

Ele sabia que não poderia matá-la, que não conseguiria eliminar seu verdadeiro Amor.

Então, o deus deixou que ela o matasse, mas no mesmo momento em que ela fez isso, percebeu que havia matado seu Amor verdadeiro, perdendo a fé e se tornando mortal, tudo de uma só vez.

Acontece que o lugar onde isso aconteceu ficou marcado, e foi criado o Metaplano de Mu. Ele passou a existir em 13 mundos, um deles o mundo onde viria a existir o deus terrível, Pan.

Esta anya -- anya é o feminino de anjo -- ficou em luto ao lado do lugar onde o deus morrera, durante muito tempo; quando o deus reencarnou, ela também deixou o corpo para reencarnar, pois deixara de ser anya e agora era mortal.

Muito tempo se passou, e uma civilização se formou ao redor do Metaplano.

Um dia, uma guerreira muito poderosa, mestre em todos os Elementos Majores, entre eles o Espaço-Tempo, por exemplo, ou o Vetor -- Vetor é a direção do movimento de tudo o que existe, a cada momento do Universo -- chegou em Mu.

Ela se entitulava A Moai e, para provar seu poder, separou um dos mundos do Metaplano.

Acontece que, para ela, aquele elemento subjetivo não era importante -- Mas era.

O Metaplano de Mu reunia os Doze Elementos maiores, mas tinha um mundo a mais, que a Moai decidiu que não era importante, e eliminou a ligação dos outros mundos com este -- Este mundo é Arda, a Terra.

O Elemento deste mundo que foi separado é o Amor, também chamado de Décimo Terceiro Elemento.

Assim sendo, Mu ficou sem o Amor, e o mundo de Arda passou por um dilúvio por ter perdido a ligação com o Metaplano, e isso tem bastante tempo, vários milhares de anos -- E foi, então, que nasceu Pan.

Pan rapidamente começou estudos para a criação de uma língua para seu povo, os satirus.

Pan descobriu que o Metaplano existira, e planejou roubar o poder daquele lugar.

O Roubo da Pena e o início do Pannat

Dotado de inteligência muito agúda e raciocínio rápido, Pan conseguiu ir ao Metaplano de Mu e encontrou a lápide do deus, abrindo -- ou seja, violando os votos da anya que selou o lugar, mas que agora era mortal e não sofreu nada com isso -- a lápide e encontrando A Pena.

Ele viu que havia sangue na Pena, e rapidamente começou a escrever.

Tudo o que ele escrevia, acontecia de fato, revelando o poder da pena de um anjo, o que era capaz de fazer.

Assim sendo, ele determina sua volta a Arda, e cria o Pannat, O Sacrifício das Virgens.

Ele era muito malicioso, sexista e preconceituoso, assim deu inteligência superior aos satirus, e determinou que a primeira vez era dos satirus. Espalhou seu povo por praticamente todos os mundos do Universo, e isso dá dez elevado a sessenta mundos.

Isso aconteceu há seis mil anos, mas Pan tinha uma outra idéia, e mandou os satirus pesquisarem línguas e palavras que poderiam ser usadas para compor uma língua muito importante, a língua dos satirus, o grego.

Esta língua, o grego é uma língua "anti-magia", porque Pan sabia que existiam pessoas que tinham Magia de nascença.

Isso mesmo, os Bruxos e principalmente as Bruxas, seriam controlados por essa língua.

Mas, na verdade, ele conseguiu coisa melhor -- Que o grego afetasse diretamente o cérebro, dando ordens que as pessoas não reconheciam conscientemente, e bom, isso gerava Corrupção, mas Pan determinou que os satirus tinham um motivo, se reproduzir, o que eliminava Corrupção.

Os satirus só se reproduziam por estupro, e seus filhos eram treinados por Pan em malícia, intelecto e sexo.

Ikkomi criou o cenário de Toj para que isso criasse a oportunidade de resolver este problema.

A solução disso, para enfrentar o grego, é pensar: "Grego entra por uma orelha e sai pela outra" -- Não precisa dizer, só pensar.

Agora, O que realmente aconteceu -- O Mito de hoje

O Pannat continuou até os dias de hoje, em todo o Universo.

Pan havia se escondido, porque os mundos que ele havia planejado para ser o seu império foram libertados, ele não sabia como. Eles formaram uma Aliança, e foi isso que Ambar conseguiu.

Ambar havia conseguido a Arma secreta de Pan, tomando dele A Pena.

Isso aconteceu no ano 60 da Academia de Ryklant, e o Santo Grupo liderou os exércitos.

Data desta batalha o desaparecimento de Baltyr, o santo que liderou a guerra contra os Demônios de Pan. Assim sendo, quando Baltyr revela que os demônios eram controlados por Pan, a população apoiou a guerra, de imediato.

Acreditava-se que o Pannat iria terminar, mas nem Ambar conseguiu fazer isso.

Agora, cinco mil duzentos e nove anos depois da fundação da Academia, a história foi revelada.

Ambar havia criado a Aliança de Ambar, doze mundos inteligados pelo poder que ela agora tinha, em posse da Pena. Isso aconteceu começando nos anos de 607 a 620 da Academia de Ryklant, que se tornou a Academia central ediche.

Assim sendo, Ambar liderou o início da luta pela unificação da Superraça.

Mas o que aconteceu com Pan? Ele morreu? Na verdade, não -- ele reencarnou.

Pan reencarnou e voltou ao seu mundo, Arda, e regeu a Grécia antiga, sendo o filho de Zeus -- Zeus tinha um segredo. Pan sabia desse segredo, e manipulava Zeus como queria.

Um dia, Zeus encontrou um deus também muito importante, e decidiu fazer o que sempre fazia.

Ele prendeu este deus em um labirinto grego, e foi revelada a forma mais bela que Zeus já havia visto -- Ele, então, decidiu fazer o que sempre fazia, ou seja, prendeu a forma mais bela às costas do deus, para que ele não soubesse de nada, e iria estuprar o deus na forma mais bela que existia.

Pessoas muito velhas, digo, os espíritos muito velhos, têm outras formas.

Mas o deus percebeu isso, e se levantou -- Se levantou, e não permitiu que Zeus fizesse o que queria.

Este deus fez contato com Poseidonis, e explicou o que Zeus estaria fazendo. A acusação era de que Zeus estava há três mil e quinhentos anos estuprando pessoas na sua forma mais bela, Zeus foi julgado, e seus vinte e nove comparsas foram revelados, todos eles deuses do Panteâo grego.

Acontece que estes deuses não eram listados nos livros conhecidos sobre a Mitologia grega.

Zeus, julgado, deixou de ser um deus, e Poseidonis passou a ser o líder do Olimpo, como é chamdo o Panteâo grego.

Tempus: Eu ajudei Ambar a enfrentar Pan em seu mundo, sob o nome de um imperador vampiro, pai de Raýla. E, então, segue agora o que aconteceu em 2020 de Arda, para o estranhamento de alguns, ou para a iluminação de quem acredita.

Nós acreditamos que histórias são tecnologia, apenas um tipo de tecnologia subjetiva. Elas ensinam. Isso quer dizer que, como diz Tutyr -- "Todas as histórias tem início na realidade, e são, de alguma maneira, verdade".

Assim sendo, foi quando os Treinadores de Monstros, que em Enigma nós chamamos de Professores, se revelaram aos Bruxos de nascença, que tudo começou.

Monstro é uma palavra errada, uma Criatura é um habitante do Horizonte, e os Professores existem em Arda -- recentemente, Ambar decidiu levar as histórias e o treinamento de Professor a seus dez mil mundos, e Athes também concluiu que eles são uma Escola, não mágica, e ensinam muitas coisas boas, e vão levar os Professores a seus dois mil mundos também -- principalmente, porque não se lida com magia.

Mas daqui a pouco voltamos a eles, porque em 2020 também foi revelado o Pannat, exatamente como estou descrevendo.

Pan, então, descobriu que Tempus tinha planejado revelar o que ele havia feito, com ajuda de outros mundos.

Como sempre, ele estava com um novo nome, filho do líder, mas desta vez ele era Mercúrio, o filho do Professor Gal, um filósofo desconhecido, ativista político que se esconde por trás da bandeira da libertação, e líder de uma equipe de Tropa de Elite -- Gel-a só não é considerada um grupo terrorista porque são americanos, mas eles entram em qualquer país, e matam quem Gal quiser, em teoria, sob ordens do Governo.

Gal é o líder de um Panteão atual e, quando Pan começou a atacar Tempus, que estava revelando seus planos, os Gel-a apareceram. Demos a sorte de que o primeiro a aparecer ter sido o Buster, o mais inteligente deles; o único com o título de Doutor.

Buster rapidamente estudou o que estava acontecendo, e se voltou contra a equipe de Gal.

Vamos ver como isso acontece -- Todas as histórias que ganham o grande público acabam de alguma maneira afetando a Realidade, algumas dessas afetam para bem, outras para o mal -- Não vamos ficar citando todas as histórias que já tentaram interferir em nossa Obra, mesmo porque existe uma questão de direitos muito difícil de se resolver; basta dizer, por exemplo, que um sem número de histórias jippa (japonesas) falam de História de Escola, muitas delas ensinam Magia e, quase sempre, o protagonista tem que ir às aulas, enquanto salva o mundo! -- Desde a década de 50 passada! Entende.

Mas a história dos Gelars "tem" uma escola, e não, ela "é" uma história de escola.

Assim sendo, Pan disse que "Esta pessoa é vilão das minhas histórias", querendo colocar suas histórias como as principais, como sempre, mas Tempus -- este que vos fala -- é experiente, e disse que "Se Este for o Pã que criou o Pannat, O Sacrifício das Virgens, e inventou a regra de que a primeira vez é dos satirus, Este é o vilão das minhas histórias", e a realidade ficou em dúvida sobre o que fazer.

Pan continuou atacando, revelando que era verdade -- Este era o Pã que criou esta regra.

Estava de noite, e devo dizer agora, que eu tenho uma filha adotiva, A Morte -- na verdade, filha adotiva de Rha. Ela estava atenta o tempo inteiro, e sabia que Tempus estava movendo o tempo para redefinir o destino das mulheres -- então, o seguinte aconteceu.

Tempus pediu a Rha para criar um anjo, que serviria a Nação da Magia, e iria resolver isso. Onira nasceu sabendo que tinha essa missão: Revelar quem eram os satirus.

Pois então, os satirus tem pés de bode, e Pan, muito esperto, estendia tapetes para eles, em todos os mundos, para que as pessoas não percebessem o barulho dos pés de bode, e Onira, o anjo dos bruxos, decidiu puxar o tapete de todos eles.

Inicialmente, em um território restrito; ele pediu a Tempus para ensinar a ele como fazer isso no Universo todo.

Tempus revelou, mas disse "Só vai funcionar em território dos bruxos", e assim foi feito. Em todos os territórios dos bruxos, de uma Nação que agora se tornava universal com isso, os satirus se desequilibram, e quase caem -- se não caírem.

Neste momento, Tempus pegou seu grimório e abriu, procurando pela definição conhecida de Pan, na mitologia grega e romana: filho de Zeus, Mercúrio era o mais rápido dos deuses -- "Mercúrio",... "filho de Gal", na mitologia popular atual mais conhecida e, como sempre, ele se coloca como o primogênito do líder, para que possa ter todas as regalias.

Pan atacou Tempus para matar, de verdade, mas Tempus é um imortal, e também tem família, com o diferencial de ter amigos, coisa que Pan não tem; ele só tem seguidores, e o líder que o mima desde sempre.

Atacar para matar revela quem é você, e foi desta maneira que A Morte descobriu quem era realmente Pan,... ou Mercúrio,... e o eliminou. O líder dos satirus também foi eliminado, quando os outros satirus tentaram colocar a culpa nele, revelando quem ele era.

O tempo tem sua própria maneira de acontecer, digo, de funcionar, e tudo o que Pan havia feito foi desfeito.

Assim sendo, O Pannat foi desfeito, em Agosto de 2020, Arda -- e cumprida a hora certa, naquela noite, tudo o que os satirus haviam feito foi desfeito, porque o deus deles havia sido eliminado para sempre -- digo, o direito das mulheres de sua primeira vez, antes roubado, foi restituído.

Tempus tinha direito a um pedido, e perguntou a Rha se aquilo poderia ser feito.

Assim sendo, agora beber café à noite passou a ser aceito como uma coisa normal -- adoro café! Mas bem,...

Vocês não vão se lembrar do Pannat, mas esta é a história deste crime, e sua solução.

Durante aquela noite, Gal usou meus murmúrio para dizer: "Meu filho está morto!", mas nada aconteceu, e de novo: "Meu filho está morto! Nenhuma pessoa morreu",... Ele tentou eliminar meu filho, filho homem, se eu tivesse um.

Não é preciso ser um Jogador para ver que isso é uma técnica da Corrupção, isso que ele tentou fazer.

Antes da hora certa, em que tudo se ajeita, Tempus vê a entidade cósmica que aquela história conjurou, e que estava desde a década de 80 passada observando o mundo para ver se iria comê-lo, concluir: "Eu não vou comer O Amor", se virou, e foi embora.

Isso quer dizer, gente, que não devemos chamar entidades cósmicas terríveis em nossas histórias, porque elas aparecem de verdade. O Devorador de Mundos foi embora, finalmente, e tem porque.

Está revelado o porquê deste mundo, Arda, a Terra, ser importante e único: Este é o mundo do Amor.

Termino a minha narrativa agradecendo a Ikkomi pelo espaço de sua página, e também pelo seu café que, como disse o embaixador símio: "Ikkomi, este é o melhor expresso que eu já tomei".

E que assim seja -- Tenham todos um ótimo segundo semestre.

Obrigado por ler.