Krippa

De Enigma
Ir para: navegação, pesquisa

Krippa.

Esta é uma página sobre Krippa.

Krippa é uma Conlang -- constructed language -- que é um presente de casamento.

Ela é a língua facilitada, uma versão arbitrária das línguas faladas na Floresta Profunda, lugar que liga praticamente todas as cidades em todos os lugares do nosso multiverso.

Mas porque cidades? Porque na antiguidade, cidades eram estados.

Krippa é a língua da Morte, também conhecida como Deathspeech.

Sol começou a trabalhar em Deathspeech em 2006, mais ou menos, e foi quando a Morte de nosso mundo se mostrou e se tornou personagem das histórias de Enigma.

A Morte de nosso mundo se chama Aella, e gosta muito de trabalhar.

A Morte verdadeira se chama Nga, mas Krippa é o seu apelido familiar.

Esta língua ficou em suspensão, tal como Interspeech, a Superlíngua, e foi feito apenas o necessário mentalmente para que a ideia se mantivesse viva, principalmente nos romances.

Agora com este Wiki, a intenção é deixar anotada a língua e os seus costumes.

Tudo o que há na Floresta Profunda é de Krippa, não duvide disso. Inclusive tudo o que há de comer. Os Vivos que está na Floresta constantemente oferecem o que comem à Morte.

A expressão Os Vivos indica que a pessoa está viva e tem direito a viver na Floresta.

A Morte permite o uso de ottowa e filya na Floresta, mas é de língua mágica. Isso significa que a população dos vivos que habitam a Floresta devem aceitar serem estudante.

A palavra mais antiga para estudante é da língua Draka:

ulluhm -- n. -- estudante.

Este é um dos segredos da Floresta. Aí se guarda uma quantidade de iwa grande o suficiente para se encher qualquer banco de dados de uma estação orbital de banco de dados, e isso é muita informação. Somente duas raças tiveram a offerta de ter uma estação dessas, apuka e zyt (gray), mas nenhuma das duas construiu a estação, então, os únicos que tem direitos de ir e vir na Floresta Profunda são os aliados dos Vivos, a raça arbórea fauk. Os fauk vivem em um outro tipo de floresta, mas a Floresta Infinita se mistura com a Floresta Profunda em alguns lugares, principalmente porque a Floresta Infinita não se acerca de cidades, e sim de ermos.

Dizem algumas fontes que os apuka e os gray construíram sim, mas mantém em segredo.

Os vivos gostam muito de ter padarias e lanchonetes, onde podem contribuir com aquilo que eles mais tem, a comida que é oferecida pela floresta, mas assumem sempre uma forma local e não a de azuis.

Os Protetores ou Guardiões sem Corpo, dizem, são a raça que deu origem aos azuis da floresta. Estes guardiões são azuis, o que quer dizer que eles são sagrantes de nascença, independente se tem corpo ou não.

Os vivos não gostam muito dos conceitos científicos da medicina, sendo de maioria xamã.

Praticamente todos Os Vivos são xamãs -- schamant -- e também guerreiros.

Eles tem uma língua que usam entre si, de nível sete na escala de cinco de dificuldade para aprender, mas Krippa vem para que Os Vivos, O Povo da Morte, tenham mais facilidade de comunicação.

Krippa não é uma Maglang -- magic language -- mas sim uma língua fluida e orgânica. Uma Artlang -- artistic language -- e presente de casamento de Enigma para A Morte.

Obrigado pela visita a esta página, vamos avisar A Morte de sua estada.

Fique feliz de estar vivo, amigo ou amiga, porque A Morte é importante.

Aguarde enquanto a redação e revisão do texto wiki dinâmico adiciona informações.

O processo de criação depende de informação já existente em outras páginas.

Obrigado por ler.