Aliança das Três Raças

De Enigma
Ir para: navegação, pesquisa

Esta é uma Entrada de Dicionário, do wiki.

Aliança das Três Raças: definição, alcance e evolução deste Império.

Nota: Alguns direitos reservados (Sol Cajueiro).

Siga para Enigma:Aviso_geral para ver a licença.

Estado: união ou coligação com finalidade administrativa entre ao menos dois Sistemas ou duas raças.

Todo Estado tem função administrativa; ou seja, se isto não acontecer, a definição não se aplica.

Você vai encontrar mais informações em Akkoya, em que a Aliança das Três Raças é um exemplo de Estado.

A Aliança reune as raças ediche, ikka e sun chang na administração do Setor Laranja, Galáxia 52, e que se localiza há onze sistemas de distância da Terra, a qual está ao lado do Setor Cinza da 35, dependente da rota tomada, ambos os mundos no mesmo Supergrupo (Definição).

Este Estado defende a separação entre Pessoa Comum e Pessoa de Poder, ambas com direitos e deveres distintos.

Siga para Superleis Ediche (lei) para ler o estatuto das pessoas de poder ediche, ikka e sun chang. As leis e costumes drakma não contam, porque eles são gladiadores e tem lei própria.

Há dois mil anos, quando Akkoya chegou ao espaço, a raça ediche não se deu bem com a raça drakma, e as hostilidades foram imediatas, com poucas naves ediche sobreviventes do primeiro contato.

As duas superraças entraram em conflito armado, e isso fez com que Akkoya, que já conhecia a localização de alguns mundos ediche e já tinha o conceito de superraça, reunir esforços com os mundos em Era Mítica que pode, porque alguns tinham problemas demais para se fazer o contato. Tanahta foi um dos mundos alçados. Eles saíram de um sistema feudal para o nobreza corporativa de grandes corporações em um mês e meio de guerra. E eram bravos. O esforço de guerra captou dezesseis mundos, formando um estado. Enquanto isso, a revelação de que a raça dos anjos na verdade era só mais uma raça, aconteceu, e a raça ikka entrou para o lado ediche da guerra. A raça sun chang, mais bruta que as outras duas, e com apenas dois mundos, também assimilou-se ao lado ediche.

Isso não importava muito, porque a quantidade de raças drakma era enorme.

Os drakma habitantes da lua Treiyka assumiram o lado ediche, contrariando sua superraça.

Isso deixou os drakma revoltados, mas não havia como não ser assim, com tanta história e os mundos Trikumai haviam acabado de se transformar em planeta, lua habitável, outra lua rachada e enorme, e o astrala mais complexo e enorme que já se vira, era o que disseram os ikka, os brancos.

A vida é vivida no dia a dia, e a qualidade de vida dos mundos assimilados aumentou em muito.

Dessa maneira, os nativos ediche de cada mundo agora planetas tiveram seu Cristal rachado, o que facilitou a vida do lado ediche e limitou os poderes de atuação dos reptilianos drakma. Isso porque os ikka tinham muita experiência em sistemas solares com Cristal rachado. Eles mesmos fizeram isso, antes. Tentar colonizar um mundo que não era da sua raça, mas a natureza é rígida nesse ponto e estrangeiros são repelidos quando tentam a colonização contra uma raça menos desenvolvida, matando os invasores, seja com vírus ou outras doenças.

A raça ikka tem altíssima tecnologia, e naves movidas a energia divina. Apesar disso, eles tem apenas seis mundos, dos quais apenas Melch Lemetian e Archailax entraram no esforço de guerra do lado ediche.

A guerra seguia adiante, levando consigo vidas de todos os lados, em igualdade de forças.

Tanahta tinha uma lenda muito terrível, As Serpentes estavam infiltradas em sua sociedade de tal forma que era muito complicado a visita de pessoas de outros mundos.

Durante cinco mil anos os Bruxos de Tanahta enfrentaram A Sombra, um fenômeno inexplicável. As poucas coisas que se sabiam era de que sua Nação da Magia, que reunia os bruxos e os monges -- todos os Tipos eram considerados bruxos, exceto os monges -- tentavam enfrentar As Serpentes. Era uma espécie que possuía uma pessoa e ficava sem se manifestar, até que A Fome lhe atacava. E elas comiam pessoas.

As únicas coisas que se conhecia contra As Serpentes era que telepatas eram imunes, e aonde existisse mais de uma serpente, a natureza se deesrtificava rapidamente; era recuperável, depois da eliminação do inimigo.

E foi nesse clima que Akkoya entrou em contato com Tanahta, oferecendo a nobreza corporativa.

A nobreza corporativa preza pelos segredos da Magia, Manifestação e Poder. Isso fez com que uma sociedade pública como a de Tanahta concluísse que iriam demorar muito tempo para se adaptar.

Felizmente, As Serpentes não tinham conseguido sair do mundo e todos os esforços foram feitos para que isso não acontecesse de maneira nenhuma, mas os ediche de Tanahta entraram na guerra. Era o povo mais feroz. Eles saíram de plantar e colher para indústria e viajem espacial em seis meses, totalmente preparados e dispostos a vencer, e oferecendo ajuda aos demais mundos da superraça e aliados.

Um dia, uma frota invisível, apenas captada por telepatas, apareceu em órbita e bombardeou.

O bombardeiro foi rápido demais para chegar ajuda, e as várias naves que tentaram defender Tanahta foram avariadas, gravemente, mesmo que nenhuma tenha sido destruída.

A Frota Invisível atacou lugares ermos, pouco habitados e a maioria das nascentes de rios. Atacou, e se foi. Não houve contato, nem explicação sobre o ataque. A atmosfera foi amplamente afetada. E, enfim, os Três Infernos se abriram e toamram conta da superfície.

Tendo se transformado em um Mundo Inferno, em um único dia, Tanahta se rendeu aos drakma. Uma nave diplomática drakma chegou, e depois de saber do que estava acontecendo, os drakma se renderam.

Os drakma explicaram que não foram eles, e isso era uma força de fora da guerra, atuando.

A assinatura da paz veio junto de um medo terrível, de que essa frota invisível viesse a atacar outros mundos, enquanto todos ajudavam os nativos de Tanahta a sobreviver ao Inferno.

As raças ediche, ikka e sun chang assumiram uma Aliança imediatamente, e os drakma cessaram os ataques.

Esta é a história de formação da Aliança das Três Raças, ediche, ikka e sun chang. Os drakma são bem vindos, e há uma grande quantidade de esforços para deixar os mundos em Era Mítica evoluírem naturalmente, porque foi esse o motivo de os drakma atacarem. Eles disseram que isso tudo é um ecossistema. Se você muda um padrão, esse padrão começa a afetar tudo o mais que existe, e até hoje e desde então, a Aliança tem vinte e seis mundos. Nenhum mundo em Era Mítica foi contatado mais, mas passaram a ser observados.

Recentemente, duas colônias em luas florestais estão em andamento, por parte ediche.

Ayyalunta, um Estado sem linearidade territorial de fronteira, está observando dezoito mundos, mas ao poucos Akkoya está ajudando a esta observação incluir Akkoya, e as duas colônias florestais. O único problema é que a selva destas duas luas florestais são do tipo hostil, e muito perigosas. Tem mais ou menos cinquenta anos que a estação escola de Akkoya funciona, e a ideia é criar mais duas estações escola ao redor destes dois infernos florestais, colônias de observação ediche da Aliança das Três Raças.

Outras páginas e anotações derivam de informações já presentes em algum outro texto.

Mais informações serão adicionadas aos poucos; e agradecemos pela sua paciência, seu apoio e comentários.

Siga para a Home[1] do autor no Facebook, ou para as fanpages de Action Tale[2] e The Magic Nation[3].

Siga também @solcajueiro[4], @themagicnation[5] e @schmmach[6] no Twitter.

Mande um tweet para @solcajueiro no Twitter, deixando claras as suas dúvidas.

Obrigado por ler.